Um Olhar Cético

Home » Uncategorized » O Brasil precisa de educação científica URGENTE!

O Brasil precisa de educação científica URGENTE!

Trabalhar com ciência, seja como educador, pesquisador ou divulgador, nunca foi nem será tarefa fácil em lugar algum. No entanto, o (duro) trabalho feito por cientistas e professores no Brasil parece estar sendo jogado no lixo nos últimos anos. A internet fez um ótimo trabalho em dar voz a muitas pessoas, mas trouxe um efeito colateral monstruoso: figuras sem conhecimento científico nenhum, tais como: Cauê Moura, Olavo de Carvalho, Nando Moura, entre outros diversos canais como “Você Sabia” e páginas do facebook, como “Fatos Desconhecidos”. Em casos como Olavo de Carvalho e Nando Moura, que além de analfabetos científicos, também são analfabetos políticos de direita que propagam todo tipo de hoax e destilam preconceitos em seus canais de formação de opinião (sim, esses dois sujeitos têm um público considerável no Brasil).NaoKahlo1

Mas a propagação da ignorância não habita só na direita política. Ambos os lados do espectro político apresentam fortes tendências anticientíficas (como podemos ver aqui). Esse estudo foi conduzido nos EUA, mas observando em que pé estão as coisas no Brasil, não me surpreenderia se os mesmos resultados fossem encontrados por aqui. Recentemente (22/10/2015), tive o desprazer de ler alguns tweets do coletivo feminista “Não Me Kahlo” – que se declara não homogêneo com base em um post divulgado anonimamente – acusando a pedofilia de não ser uma doença, mas simplesmente resultado de uma socialização patriarcal e de violência contra mulheres. Ora, mas que tipo de critério estão usando para definir o que é uma doença ou não? O pior é que, depois de destilar sua ignorância de sofá,afirmando que a existência de pedófilos vem da “socialização” e do “patriarcado”, citam o exemplo da homossexualidade, que já foi considerada doença e hoje não é mais, para justificar sua verborragia sem evidências.

Vamos lá, só pra não deixar isso passar batido: Eli Vieira, o nosso geneticista mirim, já escreveu em 2014, de forma resumida e simples, por que existem bons motivos para se considerar um pedófilo um doente (e que não tem culpa de sua condição, mas que se torna culpado e responsável ao assediar e estuprar um menor de idade) enquanto a NaoKahlo2homossexualidade é um ‘desvio de comportamento’ (não no sentido moral, mas em sentido estatístico, pelo amor de Darwin) que não acarreta nenhum sofrimento psicológico intrínseco em sua condição, mas um sofrimento pelo medo como seu comportamento é julgado pelas outras pessoas ao seu redor. Um pedófilo, diferentemente, tem consciência de sua condição e pode ou não vir a estuprar uma criança. Caso o faça, ele é um criminoso. Caso contrário, ele pode passar uma vida inteira em conflito psicológico interno por seu ‘desvio de comportamento’ (que, diga-se de passagem, é bastante incomum). O erro está em assumir que TODO acusado ou condenado por pedofilia (crime) é, de fato, um pedófilo e, reciprocamente, que todo pedófilo virá a abusar de uma criança.

Dada essa resposta a um caso isolado, vamos partir às generalizações: observo uma tendência absurda em figuras célebres (independentemente de seu posicionamento político) em se agarrarem às opiniões prévias, julgarem todo fato a partir de suas opiniões políticas, descartando todo tipo de evidência desfavorável a suportar seu ponto de vista e expondo apenas aquilo que acaricia sua opinião (e que muitas vezes é falso e foi demonstrado como falso há muito tempo atrás). O livro “O Mundo Assombrado Pelos Demônios”, de Carl Sagan, foi tão atual e preciso em descrever a realidade (e ele foi escrito há 20 anos atrás, quando eu sequer era nascido). Em minha curta vida, já presenciei: Olavo de Carvalho afirmando que a Pepsi usa fetos abortados como adoçante (e que o velho hoje NaoKahlo3diz não ter sido bem isso o que quis dizer… sei, nem ambiguidade ele pode alegar); Olavo de Carvalho afirmando que combustíveis fósseis não existem; coletivos feministas definindo pedofilia como socialização do homem no patriarcado (ué, os pais estão ensinando os filhos a serem pedófilos com o aval de um Estado e um sistema jurídico que criminaliza isso?); vi boa parte da internet, em páginas que se intitulam de esquerda, se curvar à astrologia como um sistema de crenças válido e que descreve a personalidade humana com grande precisão; vi boa parte das pessoas acreditar piamente que a homossexualidade e a identidade de gênero dos seres humanos são, exclusivamente, fruto de “construção social” – e aqui, podemos aproximar tal ideal com os de pessoas como Silas Malafaia.

Suzana Herculano-Houzel. Se você não conhece o trabalho dela, sugiro urgentemente se inteirar sobre a neurocientista que mais tem tido destaque na mídia (e que tem um trabalho científico invejável)

Suzana Herculano-Houzel. Se você não conhece o trabalho dela, sugiro urgentemente se inteirar sobre a neurocientista que mais tem tido destaque na mídia (e que tem um trabalho científico invejável)

A credulidade em informações reconfortantes é, infelizmente, parte da natureza humana. Todos nós estamos sujeito a vieses. E é por esse motivo que a avaliação e crítica dos pares deve ser uma constante em nossas vidas. Não podemos “proteger as mentiras convenientes” e atacar as “verdade inconvenientes”. Isso é uma inversão de valor com consequências e perigos tremendos, que irei abordar em outro post. Este post é para fazer um desabafo importante de um pensamento que tem me consumido faz tempo. Eu sou um estudante de Biologia que aspira, em algum momento da vida, ser professor ou pesquisador. Poderia estar gastando o meu tempo aprimorando essas habilidades, é claro. Serão minha fonte de sustento daqui algum tempo. Poderia estar lendo artigos científicos e tornando-os digeríveis para o grande público. Poderia estar passando ensinamentos sobre ciência adiante, melhorando minha capacidade de comunicação por escrita. Porém, antes de tomar qualquer passo em direção a esse tipo de trabalho, acredito que preciso quebrar uma barreira que impõe sérios limites a qualquer progresso no nível de instrução científica médio: essa barreira é, necessariamente, conciliar a Filosofia e o conhecimento, seja ele científico ou não. Por que isso se faz tão necessário? A ciência, sem filosofia e pensamento crítico sobre os processos metodológicos para atingir o que chamamos de ‘conhecimento’, se torna um campo do saber que, para as outras pessoas, pode ser percebido assim:

Um apanhado de curiosidades interessantes, mas sem nenhuma conexão prática com a realidade e muito menos conhecimento de como sabemos o que sabemos.

Infelizmente, esse é o ensino de ciências que temos, mesmo em escolas de ótima qualidade, no Brasil. A ciência se torna um punhado de curiosidades que o estudante lê em fontes de jornalismo como “Galileu”, “Superinteressante” e, em casos ainda piores, mais enviesados e sem nenhum tipo de procedência, em qualquer página da internet. Como o estudante não sabe distinguir os processos básicos a que uma ideia deve ser submetida para afirmarmos se ela é verdadeira ou não (em sentido pragmático, um verdade funcional), ele passa a aceitar qualquer tipo de informação que seja interessante e salte aos olhos. Ter conhecimentos científicos acumulados NÃO É, de forma alguma, garantia de que você esteja acumulando os conhecimentos corretos. E infelizmente nosso sistema educacional valoriza acúmulo de conhecimento, não a produção e a testabilidade do conhecimento.

Em suma, vou deixar dois vídeos excelentes sobre o assunto linkados ao final do texto. Na descrição dos mesmos, há uma infinidade de materiais tratando sobre esse assunto. Inclusive artigos científicos que correlacionam: a educação e acúmulo de conhecimento científico não tem nenhum efeito significativo em diminuir a credulidade em pseudociência. Já a educação sobre a filosofia e o método científico fazem diferenças significativas em diminuir a credulidade em práticas (no estudo, o exemplo utilizado é a ‘previsão do futuro’). Deixarei linkado também um trecho do livro de Sagan, que considero ser leitura obrigatória para todas as pessoas que querem ter algum pensamento crítico e não se conformam com qualquer informação.

Por fim, vou fazer um apelo final. Há algo que me desconcerta e que, isso sim, percebo como uma diferença na educação entre homens e mulheres e que, definitivamente, é culpa da sociedade: por que o público feminino em ambientes de divulgação científica é tão baixo, quando as mulheres são maioria numérica na sociedade? Por que existem tantas meninas que consideram o estudo de ciências chato, desinteressante, inútil, sem emotividade? Por que mesmo em grupos de feministas extremistas, vejo uma tendência à crença na astrologia e em outras pseudociências? Não seria uma quebra de paradigma, um rompimento no sistema muito maior, se mais mulheres se interessassem em discutir e aprender sobre ciência e filosofia e tivéssemos ainda mais figuras como Suzana Herculano-Houzel, Mayana Zatz, Jane Goodall, Susan Haack, Hipátia de Alexandria e tantas outras mulheres que foram figuras importantíssimas para a ciência e a filosofia (e que, infelizmente, não têm o devido reconhecimento – e entendo se isso for a razão para desestimular mulheres dentro da carreira científica, bem como o assédio que existe dentro da academia)? Eu estou cansado de que o padrão “astrologia é coisa pra menina” e “física e matemática é coisa de homem” continue se propagando. Quero ver mais e mais mulheres em posição de destaque na ciência, cada vez mais. E se o que eu digo soa machista, estou aberto para que me convença disso.

P.S.: Não falei sobre a fosfoetanolamina, mas fica pra um próximo post.

Boa leitura!

Boa leitura!

https://www.youtube.com/watch?v=PtFd97xm3gE
https://www.youtube.com/watch?v=J5ncvehkWMw
ateus.net/artigos/ceticismo/um-dragao-na-minha-garagem/pdf/

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: